Quanto mais línguas melhor…



Depois do título meio “pornográfico”, pelo menos na cabeça dos mais pervertidos, o assunto deste post é sobre uma coisa importante que nem todos valorizam ou enxergam o valor.

Nascemos em um país com apenas uma língua oficial e no qual acabamos aprendendo um pouco de espanhol ou fazendo umas aulas de inglês, mas geralmente depois de mais velhos.

Sempre uso como exemplo a Suíça, onde existem quarto línguas oficiais, sendo elas o suíço-alemão, italiano, francês e um dialeto perto da fronteira com a Áustria que é pouco falado e nunca lembro o nome.

A questão é que, desde pequenos, a maioria deles já começa a vida falando mais de uma língua, fazendo com que o cérebro se acostume mais rapidamente ao aprendizado de outras.

Eu fui para Austrália para aprimorar o inglês, porque já falava um pouco. Mesmo sem nunca escutar meu pai e dar confiança para ele sobre a pressão de aprender bem outra língua, tive um pouco mais de facilidade de aprender. Muita gente vai e volta falando quase a mesma coisa, muitas vezes, nada.

Juventude prepotente e idiota. Na Austrália senti que poderia ter me dado muito melhor se já falasse bem o inglês. Emprego melhor, mais dinheiro, novos relacionamentos com mais facilidade. Mas… tive que frequentar as aulinhas chatas e aprender na marra.

Na marra também aprendo o italiano. Três semanas de aula bastaram para ver que era muito dinheiro por pouco aprendizado. E aprendi falando, tentando… errando… corrigindo… perguntando…

Aliás, quase quatro meses falando italiano todos os dias, o dia todo, não significam que a fluência veio junto. Aprendemos primeiro como ouvir e entender, depois como falar. Isto porque nunca gostei de gramática, mesmo com o português. Não gosto de estudar, sou preguiçoso, infelizmente.

Mas a questão é que se eu tiver um filho com a minha namorada italiana, ele vai ter que aprender desde criança a falar pelo menos italiano, suíço-alemão, português, inglês e alemão. Ou seja, bem mais do que eu creio que possa falar um dia!

Mas ele falará! E vai me ensinar o que ainda não sei. Porque não importa a idade, sempre podemos aprender. Mas com certeza quanto mais cedo, mais fácil.

Vi na TV uma justificativa científica para o fato, mas não cabe a mim falar sobre isso. Só quero poder passar um pouco das minhas experiências para assim, quem sabe, ajudar alguns de vocês a lutarem por algo de positivo na vida.

Mais cultura, mais línguas, mais vocabulários, mais leitura… tudo isto acrescenta, e muito! Claro que línguas propriamente ditas também, mas isto também é um outro assunto! :D

Abraço e paz,

Michel P. Zylberberg
www.rodandopelomundo.com

Curta e siga:
Avatar

Michel Zylberberg

Criei o blog em 2006 para compartilhar as minhas andanças pelo mundo, já rodei por mais de 20 países e gosto de incentivar as pessoas a conhecerem o que esse mundão maravilhoso tem a oferecer! Conto com a colaboração de amigos e convidados para poder trazer um conteúdo relevante e interessante, sempre junto com a minha grande paixão - a fotografia.