Brasil entregue às baratas



baratasTriste demais ver as manchetes dos portais de notícias brasileiros todos os dias, para saber como anda meu país, e me deparar sempre com crimes, lavagem de dinheiro, roubos, sequestros, impunidade, drogas, justiça cega e um sistema político absurdamente atolado na corrupção.

Como diria Arnaldo Jabor, um dos poucos ícones que ainda se atrevem a sempre falar o “mais do mesmo”, é falar em vão. Uma vez que nada muda, aliás, infelizmente – muitas vezes – só piora. Não tem como não ser incrédulo, uma vez que quem enriquece com as nossas riquezas não se preocupa com o povo que morre de fome do outro lado.

Temos um povo tão guerreiro, que sobrevive fazendo verdadeiros milagres! Classe média que já não é média há muito tempo, classe baixa que só não abaixa mais por falta de outra mais embaixo e miseráveis que poderiam ceder o nome aos milionários corruptos que estão no topo das listas de mais ricos do Brasil e do mundo.

Para ser milionário no Brasil trabalhando honestamente é quase impossível. Claro que existem empresários de sucesso, mas talvez no caminho já tenham prendido seus rabinhos com licitações ou tráfico de alguma coisa. Eles sempre têm essa opção de escolher opções mais rápidas para multiplicar suas riquezas.

Eu não queria ver meu pai na TV acusado de alguma coisa, enquanto eu tenho do bom e do melhor em casa. Mesmo sabendo que a impunidade esbarra na compra de policiais e na justiça caduca, viver com a culpa de saber que tudo aquilo é fruto de roubo seria uma dor muito maior do que passar necessidade ou ter que lutar justamente por algo. Obrigado meu pai por sempre me mostrar isto e por ser um exemplo de honestidade e luta por toda a vida.

É um ciclo vicioso mortal e provavelmente eterno:

O Rico corrupto, invisível cabeça do tráfico, compra o Pobre que quer fazer dinheiro rápido com o crime. O Pobre vende ao Jovem que depois de viciado começa a roubar para conseguir mais dinheiro. O policial prende e ficha o Pobre e o Jovem, mas nunca o Rico. O Rico compra o policial também. O Pobre mata o Jovem que não paga e outro Pobre mata o Pobre para poder ficar com o controle dele. E outro Jovem vem comprar a droga.

Historinha meio idiota e preconceituosa, mas infelizmente um retrato da nossa triste realidade. Infelizmente no Brasil – diferente dos filmes americanos – não são os Mocinhos bons que vencem sempre, são os Ricos corruptos. Sanguessugas impiedosos e vorazes que chupam até a última gota de sangue do nosso povo sofrido e sonhador. E olha que sangue anda cada vez mais escaço.

…vamos todos juntos, pra frente Brasil, do meu coração…

Escrito por Michel P. Zylberberg, 27 de agosto de 2007

Curta e siga:
Avatar

Michel Zylberberg

Criei o blog em 2006 para compartilhar as minhas andanças pelo mundo, já rodei por mais de 20 países e gosto de incentivar as pessoas a conhecerem o que esse mundão maravilhoso tem a oferecer! Conto com a colaboração de amigos e convidados para poder trazer um conteúdo relevante e interessante, sempre junto com a minha grande paixão - a fotografia.