Morar fora é morrer um pouco…



Dias de alegria, dias de paranóia, dias de saudade, dias de ausência, dias e dias de distância.

Morar fora é morrer um pouco… algumas vezes mais, outras menos. Mas sempre um pouco.

Quem fica sente saudades, como de alguém que parte de verdade para sempre. Quem vai, fica longe de quem ama, e conta os dias para voltar.

Muitas vezes quem nunca vai não sabe nem de perto o que é voltar. Aquela sensação deliciosa de que nada foi perdido, tudo está ali.

Mas nem sempre tudo sobrevive ao tempo. Muitas coisas passam, vidas também.

Minha vida é cheia de idas e vindas, despedidas e retornos, giros e mais giros. E gosto de morrer um pouco a cada vez que digo adeus, porque vejo nos olhos de quem fica o amor que nos ensinam a esconder. Sinto que sou amado, que sou querido e deixo saudades.

Muita gente parte de vez sem ter sentido esse sentimento tão único. Penso que partem mais tristes, frustrados. Eu ainda voltarei e partirei muitas vezes. Mas um dia não voltarei mais, e neste dia, partirei em paz.

Michel Zylberberg, ao som de Chico Buarque (30.11.2007)

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=V6-0kYhqoRo[/youtube]

Avatar

Michel Zylberberg

Criei o blog em 2006 para compartilhar as minhas andanças pelo mundo, já rodei por mais de 20 países e gosto de incentivar as pessoas a conhecerem o que esse mundão maravilhoso tem a oferecer! Conto com a colaboração de amigos e convidados para poder trazer um conteúdo relevante e interessante, sempre junto com a minha grande paixão - a fotografia.