Qualquer tipo de trabalho merece respeito



Você já se imaginou trabalhando lavando prato em um restaurante, como ajudante de cozinha? E, além do mais, sonhando em algum dia ser promovido à garçom ou chef?

Para muitos é uma coisa absurda e imposível no Brasil, além de existir ainda o preconceito com quem faz esse tipo de trabalho.

Mas, quando a escolha é outro país, muita gente (como eu) acaba atrás da pia de um restaurante lotado, levando esporro do gerente, tentando dar conta de milhares de pratos e panelas.

Se no Brasil o salário é baixíssimo, no exterior já é o suficiente para pagar as contas e ainda economizar. E conheci muita gente que trabalhou anos como ‘kitchen-hand’ (ou ajudante de cozinha) e nunca não se arrependeu.

Alguns outros têm até vergonha de falar que tiveram um trabalho assim. Mas a grande maioria fala na boa e ainda passa a valorizar quem faz esse tipo de trabalho na volta ao Brasil.

Não só esse tipo trabalho, como também garçom, faxineiro, barman, recolhedor de copos, ajudante de pedreiro, segurança e tantos outros. Eu já passei por alguns destes e hoje sei bem como é dura a vida de quem depende de um trabalho assim para viver.

Eu tive muita sorte (graças também ao meu Pai que insistiu para acabar a faculdade) de encontrar um trabalho na minha área no exterior. Mas, para tantos, não existe escolha.

Basta saber aproveitar e valorizar o dinheiro no bolso no fim do mês. Afinal, existem poucas coisas na vida piores do que ficar desempregado. E qualquer tipo de trabalho merece respeito.

Michel P. Zylberberg
http://www.rodandopelomundo.com

Leia mais sobre trabalho no exterior, viagens e muito mais:
Destaques

Curta e siga:

Michel Zylberberg

Criei o blog em 2006 para compartilhar as minhas andanças pelo mundo, já rodei por mais de 20 países e gosto de incentivar as pessoas a conhecerem o que esse mundão maravilhoso tem a oferecer! Conto com a colaboração de amigos e convidados para poder trazer um conteúdo relevante e interessante, sempre junto com a minha grande paixão - a fotografia.
  • magarida

    seu idiota numca sou sua amiga

  • Lu

    Michel
    Acedi hoje ao seu blog através do blog travelstart.
    Gostei mesmo muito, porque tudo o que fale de viagens duma forma muito pessoal me envolve muito emocionalmente. Não sou jovem como voçê e os seus chegados, mas tive as minhas experiências ao longo da minha vida, no que se refere a viagens e devido a várias razões, o que me levou nesta fase da minha vida a criar um blog para partilhar um pouco essas experiências. É nesta sequência desta conversa que introduzo a razão do meu comentário e porque escolhi este post. De facto já lá vai muito tempo que fiz uma experiência de tipos de trabalho a que se refere no seu post, que alguns dirão desqualificados mas que aqui em Portugal dizemos indiferenciados, que acho que choca menos. E foi precisamente também na Austrália em 1976 (já sou uma antiguidade!!), na cidade de Melbourne aonde cheguei com um filho de 1 ano. Apesar de dominar razoàvelmente o inglês, e tendo um curso superior, não consegui de imediato equiparação para poder trabalhar, mas não cruzei as mãos, trabalhei primeiro limpando as mesas sujas duma cafetaria dum colégio de meninos ricos e depois numa fabrica de confecções na secção de acabamentos. Tudo quanto sei dizer é que essa experiência foi altamente enriquecedora e criou em mim uma endurance e um espírito mais aberto. Hoje em Portugal felizmente os jovens já se atiram a tudo o qu seja trabalho mas antigamente havia muito preconceito… Mas não me alongo mais em considerações para não correr o risco de maçar quem ler.
    Ainda não comecei verdadeiramente a falar das minhas experiências de viagens no meu blog, nessa altura irei certamente abordar a minha passagem pela Austrália, que foi um marco na minha vida…Abraço e continuação de muitas e felizes viagens e tudo de bom para si e seus queridos.
    Lu

  • Michel,

    Eu também já fui para obra e para cozinha em Sydney na Austrália e não tenho vergonha nenhuma disso.
    Com esses trabalhos acabei conhecendo a Tailândia e toda a costa lá da Austrália.

    Gostei muito do seu blog também. Já coloquei seu link lá nos especialistas em viagem do meu blog.

    Um abração!

    Marcio

  • Oi Margarida, obrigado pela visita e pelos parabéns!!!
    Mesmo longe do Brasil, dos amigos e da família, comemorei em alto-estilo com a esposa e os novos amigos!!!

    Quanto a idade, sem neura!! Importante é saúde e felicidade.. o resto é questão de tempo :)

    A realidade Brasil x Suíça é realmente muito distinta.. mas a alegria e a vontade de viver que vemos nos brasileiros já falta muito por aqui.. muito dinheiro, ganância e comodidades também portam depressão e revolta.

    Darei sempre uma passada no teu blog!! Com certeza..
    Beijo, muita paz e boas viagens!!!

  • Michel

    Parabéns pelos 28 anos…e não fique a pensar na neura dos 30!Eu já passei por isso e não custou nada…hehe

    Obrigada pelo comentário no meu Blog,espero que volte mais vezes para acompanhar as minhas viagens!

    Vi que mora em Locarno na Suiça!Eu adoro a Suiça,não me importaria de morar por aí…mas compreeendo que deve sentir a falta do Brasil,uma realidade tão diferente!

    Bjs