Rodando pelas Ilhas Maldivas – Parte I – As Ilhas



Durante o tempo em que estivemos nas Ilhas Maldivas aproveitei para “devorar” alguns livros. Entre eles, um guia das Maldivas (em italiano) muito completo escrito por Royston Ellis (Bradt – editora fbe). Estou, a cada viagem que passa, me dedicando sempre mais a estudar e conhecer o futuro destino, para poder compartilhar com vocês e também por puro prazer. E nesse guia encontrei a melhor definição possível para esse paraíso:

“As ilhas dos sonhadores, dos românticos e dos amantes das praias que são como pérolas esplendentes em um mar cor turquesa. As Maldivas são uma destinação sinônimo de sol, tranquilidade, momentos de absoluto relax, snorkeling nas lagoas transparentes e imersão desvendando as barreiras coralinas. Assumem apropriadamente a idéia de paraíso: um grupo de ilhas românticas contornadas de praias estupendas, água quente transparente e coqueiros que balançam com o vento. (…) Depois de ter visitado as Maldivas, nada parecerá como antes.” (Royston Ellis)

Difícil descrever a sensação de ter ido a esse lugar único, seria como descrever as pirâmides do Egito em poucas palavras – impossível. Minha esposa já tinha ido duas vezes e agora sei bem porque ela insistiu tanto de voltar, ainda mais sendo a nossa lua-de-mel.

Como tenho muito material e muitas fotos, decidi mais uma vez dividir em uma série de posts. O primeiro (antes de ir escrevi “Rodando pelas Ilhas Maldivas – a preparação” e dei uma pequena idéia do que viria em “Um aperitivo das Ilhas Maldivas“) é este, onde vou falar das ilhas, resorts e um pouco de tudo o que é bom saber antes de ir.

Vídeo da viagem:

Já no avião a vista é incrível, muito diverso de ver em fotos (que não deixam de ser incríveis). Um arquipélago de 1189 ilhas e 26 atóis naturais.Voamos até o aeroporto internacional de Male’ – centro cultural, político e comercial do país. Uma pequena ilha repleta de grandes prédios – a única com ar de grande cidade.

Do aeroporto seguimos de ônibus até um outro aeroporto menor e pegamos um hidroavião. Como tínhamos pouco tempo de férias, decidimos não girar por Male’, mas pelo que li, valeria muito a pena! Sobrevoamos mais algumas ilhas e chegamos ao nosso destino: Helengeli Island Resort.

De barco normal (dhoni) demoraria umas 3 horas e meia de avião, 20 minutos e o visual de brinde. Uma outra opção seria os barcos mais potentes que fazem o percurso em 1 hora e muita gente acaba optando pelo percurso via mar, por ser mais barato. Muito estranha a sensação de que para se mover no país, só por mar ou ar.

Esse choque de sensações aumentou ainda mais quando chegamos na ilha. Tirei meus tênis assim que pisei no porto da ilha, para calçar só no último dia, antes de partir. Não usei nem chinelo, pés na areia e contato direto com a natureza. Mesmo na área do bar e do restaurante todos ficam descalços, com um chão cimentado e com uma camada de areia por cima. Perfeito!

Um detalhe importante é que saímos do inverno Suíço com -5 graus e chegamos nas Maldivas por volta das 7 da manhã com sol e quase 30. Pouco mais de 9 horas de viagem e 35 graus a mais. Um choque e tanto, ainda mais com o jetleg de 5 horas a mais de fuso horário. Mas um choque desses eu queria a vida toda!

Desde o início da exploração do turismo nas Maldivas, por volta dos anos 70, existem basicamente dois tipos de ilha habitada – uma com moradores locais e outra com resorts para turistas. Visitamos uma ilha dos maldivianos, mas ficará para um próximo post.

Existem ilhas-resort para todos os tipos, bolsos e gostos. Claro que existem muitos de luxo, mas sinceramente ir para um lugar que exala natureza para buscar o luxo me parece algo paradoxal. Nós curtimos o sol, a falta de tecnologia, a boa comida, a clássica cervejinha e os visuais inesquecíveis do fundo do mar e do pôr-do-sol. Cada um na sua!

Nos esportes, as atrações principais são o mergulho e o snorkeling, seguidas pelo windsurf, esqui aquático, surf e outros esportes aquáticos. Em terra firme: futebol (o esporte preferido dos maldivianos), vôlei, tênis, golf, entre muitos outros que encontrará – dependendo do resort que escolher.

A nossa ilha – Helengueli – tem 800m de comprimento e é estreita. Completamente coberta por uma vegetação característica, é famosa pelo mergulho. É ótima para fazer snorkeling (que foi o nosso caso).

Cada resort proporciona excursões de vários tipos – a pagamento. É sempre necessário um número mínimo de inscritos. Quem quiser conhecer várias ilhas, a melhor opção é um cruzeiro ou um ‘barco safari’ alugado. Esses passeios normais custam por volta de 50 dólares por pessoa. Pesquise bem para saber se o teu resort proporciona os passeios que você deseja. Mudar de resort depois de chegar não é uma boa idéia e custaria muito.

Um ponto forte é que nas Maldivas não existe criminalidade. E para quem se arriscar, a pena mais comum é um exílio em uma ilha isolada – por até 12 anos. Além disto, ainda sofrerá o desprezo das outras pessoas. Existem casos isolados de adolescentes drogados e revoltados, mas são pouquíssimo, devidos a religião, cultura e rigidez. Ainda sim é obrigatório aos resorts fornecer aos hóspedes um cofre em cada quarto.

O Ministério do Turismo das Maldivas dita algumas regras para a construção dos resorts, o que dá uma idéia do que você irá encontrar por lá:

“(…) Todos os quartos do hotel devem ser de frente para a praia; cada quarto deverá ter a disposição pelo menos 5 metros de praia. 68% da extensão da ilha é para os quartos dos turistas. Do restante 32%, 20% é para as estruturas principais do hotel e 12% é para os espaços vazios entre os quartos dos hospedes.” Além disto, a área máxima ocupada por construções deve ser 20% da sua área total.

Os Maldivianos se preocupam sempre mais com a conservação e preservação das suas belezas naturais. E cabe a nós – turistas – ajudar a preservar essa maravilha da natureza.

Para quem se interessou e quiser saber mais: www.visitmaldives.com | www.maldivesinfo.gov.mv ou com o seu agente de viagem preferido.

Foi um prazer ter ido e agora será um prazer compartilhar um pouco dessa viagem aqui vocês! Confira os links abaixo para conhecer mais sobre as Ilhas Maldivas:

Continue sua viagem aqui no blog:
.Rodando pelas Ilhas Maldivas – Parte II – Mergulho e Snorkeling

.Rodando pelas Ilhas Maldivas – O vídeo da viagem
.Rodando pelas Ilhas Maldivas – Um aperitivo

.Rodando pelas Ilhas Maldivas – a preparação

Michel P. Zylberberg
www.rodandopelomundo.com

Curta e siga:

Michel Zylberberg

Criei o blog em 2006 para compartilhar as minhas andanças pelo mundo, já rodei por mais de 20 países e gosto de incentivar as pessoas a conhecerem o que esse mundão maravilhoso tem a oferecer! Conto com a colaboração de amigos e convidados para poder trazer um conteúdo relevante e interessante, sempre junto com a minha grande paixão - a fotografia.
  • Fala Lemon, tudo tranquilo?
    Estava mostrando o vídeo das Maldivas aqui para pessoal no trabalho e é uma pena que não estava em 1080p no Vimeo, mas mesmo assim tá show. Manda ve numa go pro nos próximos mergulhos.
    Se cuida ai ai, abração!

  • claudio

    Opa, show de bola os relatos.
    Ainda nao li ou não tem alguns detalhes que seriam interessantes para nos programarmos.
    Quais as opções de chegar as Maldivas saindo do Brasil?
    Pq vc escolheu Helengueli?
    Ficou onde? Recomenda? Alguma outra ilha que valha a pena conhecer? Ou são todas praticamente iguais?
    Quantos dias? Qual foi seu custo aproximado?
    Bom, acho que ja da para ter uma noção boa a partir das resposta e qualquer coisa volto a pertubar.
    Eu ja viajei um pouco pela europa, se precisar de alguma dica, posso tentar ajudar .
    Obrigado

  • This is a great article about your Maldives trip, keep it up.

  • lindo demais! legal no snorkeling chegar tão perto das arraias…

    • Teté, é uma experiência incrível mesmo! ela são muito tranquilas, basta não tocar nelas que elas ficam ali rodando e fazendo um show a parte :D
      PAZ! Michel

  • Hi there crazy couple :D how is life??
    When are u coming around for a beer??
    Thx for the message, lets keep in touch!!
    Cheers and all the best, Michel

  • barbara & philipp

    hei there michel and sara

    we don’t understand anything – but we have picture ;-)

    greez from lucerne
    barbara & philipp

  • Thiago Victor

    Fala malucão, tranquilo.Como e que estão as coisas com vcs?Flamengo na libertadores,lua de mel, fino hein maluco.Agora voltando a ler o blog com mais calma e frequência devido a correria.Ilhas maldivas e maravilhoso.Com um lugar desse da pra tirar toda negatividade.Mais um lugar que não fazia ideia que existisse e que conheci através do rodando pelo mundo.Vi uma propaganda que tem haver com nos viajantes:” hoje e o último dia da minha vida todos os dias”, fica na paz maluco e fuiiiiii

    • Eita porra, sem viadeza, mas fico com saudade das tuas mensagens qdo vc some!! huauhauhauha

      Mengão fazendo bonito, casamento show.. não dá pra reclamar não irmaozinho!! Como anda a vida por aí??

      Espero mesmo que vc passe mais por aqui!! Vou tentar atualizar o blog sempre que puder..

      Abração e mta paz, Michel

  • Maravilha de post para começar a semana! Que lugar maravilhoso Lemão! E as férias? Já acabaram? Estou começando a programar as minhas, mas serão em terras brasucas mesmo! Alguma dica de lugar para ficar em Floripa (ou algum site que tenha isso)? Um abração, e aparabéns pela ótima “1ª parte do post”, ahahah,…

    • Fala Du, beleza??

      O lugar é maravilhoso mesmo cara, até por isto é dificil escrever pouco! huauhauhauh mas vou dar uma maneirada nos próximos posts :D

      Eu tive em Floripa umas 3 vezes, mas sempre alugando casa com a minha família.. tenho que dar uma pesquisada nos sites, mas tenta dar um toque na Carol Rivello http://www.rivello.com.br/ , ela mora lá e talvez possa te dar uma mão!

      Se precisar avisa aí que tento outros contatos!

      Abraços e boa semana,
      Michel