Sou carioca da gema, uai!



Muitos dos meus amigos me chamam de mineiro. Mas na verdade nasci no Rio, sou carioca da gema. Até brincava, quando fui fazer faculdade em São Paulo, que era carioca de nascimento, mineiro de criação, cearense por diversão e paulista por obrigação. É, sou um pouco de tantos lugares do nosso Brasilzão!

Meu pai é carioca e minha mãe cearense, mas quando eu tinha apenas 6 meses nos mudamos para o sul de Minas por causa do trabalho do meu pai. Mas a coisa mais louca é que várias vezes me peguei pensando como eu seria se tivesse sido criado na Urca, onde meu pai morava, ao lado da subida pro bondinho.

Eu não sou bom de bola, não sei tocar nenhum instrumento, não sei pegar onda, não sei dançar funk, sambo como gringo e o sotaque não engana mesmo – mineirinho! De carioca nem o sotaque forçado, como o de muitos mineiros que nunca pisaram no Rio.

Já estive no Rio muitas vezes, meu irmão mora lá faz tempo. Já fiz loucuras pra ver meu Mengão jogando no Maracanã! Alguém pode pensar – pô, mas você é Flamenguista! Bom, não é porque torço pro Rubro-Negro, mas se tem algo que não comprova que você é carioca é torcer pelo Flamengo.

Engraçado me imaginar trocando o “come quieto” pela “marra”; o “uai” pelo “aê”; o boteco pelo surf; o “caraaaio” pelo “sinixxxtro”; as cachoeiras pelo marzão, e por aí vai…

Foi muito engraçado uma vez que fui sozinho num show no antigo Metropolitan, devia ser uma quarta, e quando me liguei tava toda aquela cariocada me olhando com cara de “pô meu cumpadi, esse moleque aí é maluco”! Só eu tomando um copo de cerveja atrás do outro, como um bom costume mineiro.

Morei em Sampa uns 5 anos, durante a faculdade. O pessoal da terra da garoa que me perdoe, nada contra, mas eu não consegui acostumar com o ritmo e estilo de vida paulista. Acho muito engraçada a disputa entre SPxRJ. Até achava bom ser conhecido como mineiro, que aí não tinha briga nem discussão com ninguém! Quem não gosta de mineiro?

Eu adoraria todos os dias poder tomar uma açaí ou um coco, aplaudindo o pôr-do-sol no posto 9. Ou tomar um clássico chopinho, batucando em uma caixinha de fósforo, como manda o manual do bom malandro. Jogar um futvolei, tocar em um dos clássicos blocos de carnaval, dar um rolê de bike pelas praias…

É muito doido pensar que você vai ser completamente influenciado pelo lugar em que for criado. Eu sou carioca, criado em Minas, que – quando chegarem – vai criar os filhos na Suíça! Mas já avisei pra minha esposa que intercâmbio pra eles vai ser só no Brasil! Pra aprender as coisas boas da vida – e também pra perceber que a vida não é a moleza que parece ser aqui.

Mas, apesar dos pesares, acho realmente espetacular – mesmo sendo da gema – sempre visitar o Rio com o olhar enebriado de turista!

Grande abraço e muita paz!

Michel P. Zylberberg
www.rodandopelomundo.com

Curta e siga:
Avatar

Michel Zylberberg

Criei o blog em 2006 para compartilhar as minhas andanças pelo mundo, já rodei por mais de 20 países e gosto de incentivar as pessoas a conhecerem o que esse mundão maravilhoso tem a oferecer! Conto com a colaboração de amigos e convidados para poder trazer um conteúdo relevante e interessante, sempre junto com a minha grande paixão - a fotografia.