A riqueza virtual do primeiro mundo



Quatro anos atrás decidi morar na Suíça e logo de cara muitas coisas me impressionaram. Pude confirmar que a precisão deles realmente existe, tanto na parte de infraestrutura, quanto como organização social. Sem falar da segurança, qualidade e tudo mais que o mundo todo já sabe.

Mas depois de alguns anos aqui claro que muitas “máscaras” caem e, com certeza, está longe de ser um paraíso. Precisão nem sempre é sinônimo de perfeição.

Não choro de barriga cheia, pois tenho um trabalho fixo como Designer em uma agência de publicidade, mas parece que o ditado que mais se encaixa aos suíços é o famoso ” tem tudo, mas não tem nada”.

Relações familiares completamente mecânicas, um filho aqui geralmente é visto como um business e muitíssimos casais preferem nem ter filhos. Máximo um cachorro. Morrem com a conta cheia e o coração vazio, trancados em um asilo.

Esses dias assisti o documentário “Solo andata, il viaggio di un Tuareg (Só andada, a viagem de um Tuareg) – di Fabio Caramaschi” que mostrava uma família que morava no deserto do Saara na Nigéria até quando o pai decidiu ir morar e trabalhar na Itália. Mostravam os contrastes entre os dois países e toda dificuldade de integração, inclusive dos filhos. Mas o que mais me marcou foi uma resposta tipo: “os ricos não têm tempo para ter filhos, estão sempre ocupados e correndo – pensam sempre nos custos que um filho pode dar. Já os pobres têm muitos filhos porque sabem que eles são a verdadeira riqueza”. Achei fantástico!

Aliás, dinheiro aqui é um assunto muito complexo. O salário mínimo para quem trabalha 100% gira em torno de 3500 francos, mais de 6000 reais. Posso imaginar a reação de vocês, pois tive a mesma… Mas tanta infraestrutura, segurança e tudo mais não cai do céu, cai na conta!

Um custo de vida terrivelmente alto, seguro saúde, aluguéis de outro planeta, apartamentos a venda por preços exorbitantes e inviáveis, quase todos bens de consumo e alimentares importados… Basta uma comprinha no supermercado e lá se vão algumas dezenas ou centenas de francos suíços (a moeda local).

Aqui não existe a miséria de morrer de fome, não existem favelas, mas existe a tal pobreza virtual. Eu gostaria de comprar um carro, mas não posso. Gostaria de sair mais vezes para jantar fora e tomar umas cervejas, mas não posso. Gostaria de viajar mais, mas não posso. É uma vida de “sacrifícios”. O efeito de ver um salário mínimo tão alto pode causar estupor, mas se é salário mínimo, é a prova de que o custo de vida aqui exige um mínimo assim.

A luta por salários melhores faz parte da cultura deles, mas ao mesmo tempo o que mais se vê aqui são profissionais milionários e insatisfeitos. De que adianta ter uma casona, Ferrari e tudo mais e continuar sendo uma pessoa frustrada? Para suicidar ou passar pela vida como se nunca tivesse existido? Não valeria a pena ajudar aqueles que realmente precisam e não têm nem o que comer? O outro lado da moeda parece nem existir por aqui.

O índice de suicídio aqui é absurdamente alto, mas ninguém fala a respeito. Pessoas infelizes, vazias. Grandes profissionais renomados que se matam – aparentemente sem razão. Será? A pressão por resultados aqui é algo de outro mundo! O câncer também não perdoa. Ritmo de vida, alimentação, estresse e tantas outras coisas que estamos cansados de saber.

Sempre brinco que os suíços deveriam ir ao menos 6 meses ao Brasil, África ou outros lugares onde as pessoas devem realmente lutar pela sobrevivência. Selvas urbanas onde vence a eterna lei do mais forte.

Venho de família de classe média no Brasil e, mesmo com algumas dificuldades, vivi uma vida realmente boa! Para ter o mesmo padrão de vida do Brasil aqui na Suíça eu teria que ser classe alta, altíssima. Aqui não tem classe baixa, mas o buraco entre a média de alta é gigantesco.

Ao contrário de outros países ricos, aqui médico e dentista custam um absurdo! Fiz um orçamento para ajeitar uns dentes e não me assustei quando me disseram que seria bem mais de 5 mil francos. E olha que meus dentes não estão assim tão mal. Existe uma máfia incrível, não é a toa que sempre vou ao dentista no Brasil – onde a qualidade também é milhões de vezes superior!

Meu projeto é morar aqui até me aposentar, juntando dinheiro para viver uma velhice feliz e tranquila no Brasil, mas já não sei se o projeto vai vingar. A não ser que eu viva uma vida de eternos sacrifícios. Mas não quero ser mais uma pessoa depressa e frustrada por aqui.

O que mais me faz pensar é que o Brasil poderia ser muito mais rico que a Suíça, sei bem que os impostos lá também são absurdamente altos, mas infelizmente o dinheiro quase nunca chega ao destino. O Brasil tem matéria prima de sobra, um clima perfeito o ano todo e infinitas riquezas naturais. Temos que ficar de olho sempre mais, pois os gringos cedo ou tarde vão “cair em cima”! Eles morrem de inveja da nossa “ginga”!

Aqui conseguiram criar uma sociedade virtualmente rica e verdadeiramente depressa. Eu fico com a felicidade, pois a riqueza nunca comprou e nunca comprará a felicidade. Sei que estão nas pequenas coisas e é nisso que vou me ligar enquanto viver aqui! E você?

Abraços e muita paz,

Michel P. Zylberberg
www.rodandopelomundo.com

Curta e siga:

Michel Zylberberg

Criei o blog em 2006 para compartilhar as minhas andanças pelo mundo, já rodei por mais de 20 países e gosto de incentivar as pessoas a conhecerem o que esse mundão maravilhoso tem a oferecer! Conto com a colaboração de amigos e convidados para poder trazer um conteúdo relevante e interessante, sempre junto com a minha grande paixão - a fotografia.
  • iranildo oliveira

    ola michel,joinha por ai!agora sao 23:38 aqui em brasilia,se eu te falar que passei o dia inteiro lendo seus posts vc acredita? cara ate agora ta sendo de grande valia pra mim,to adorando ler suas experiencias.Como eu qquero e vou sair do Brasil tb,nossa sem palavras,alem de ajudar,sao experiencias interessante e nao sao chatas,comecei a ler e nao parei mais,olhe que bom que vc criou esse blog,que Deus abençoe sua vida meu amigo! eu tb tenho um amigo que mora na suiça,por coincidencia falei com ele hoje via facebook?so to na duvida entre a irlanda e australia pra minha area sabe,mas se Deus quiser em março saio daqui,a proposito qual a melhor epoca pro mercado da construçao civil nos dois paises?

  • gabriela

    ola moro na Suica a mais de 6 anos em Lausanne sou totalmente suspeita em falar deste pais que amo concordo muito muito pouco com o que vc escreveu ate parece que a Suica que conhecemos e diferente isto porque tenho irmao que mora na Italia outro na Inglaterra 1 amigo no Canada tds dizem que aqui e melhor ate concordo que o Suico ele te da mais liberdade com o tempo depois que tem confianca mais eles estao certos,aqui eu e meu esposo abrimos uma empresa de limpesa temos nosso carro zero uma vez por semana pelomenos jantamos fora finais de semana nao trabalhamos tenho amizade com muitos clientes que ja tiverao oportunidades de estarmos juntos em festas uma das coisas que nao concordo de geito nem um e sobre vc falar sobre a alimentacao que e importado aqui pelomenos em Lausanne se tem de tudo e tudo produzido no pais nunca senti falta ou morri de vontade de nem um alimento do Brasil pois encontro de tudo logico que alguma coisa pode nao ter mais isso temos que entender estamos ou melhor escolhemos morar aqui creio que tds viemos pela propria vontade,e sobre Suicos nao ter filhos tds nossos clientes sao Suicos e tds tem filhos mais como em tds os paises tem aqueles que optao em ter ou nao ter vou terminar dizendo uma coisa Amo o Brasil mais tive oportunidade de vim viver na Suica onde sou muito mais muito feliz amo este povo Suico que deis do comeco acolheu eu e meu esposo com muito carinho e paciencia pois quando cheguei aqui nao falava nada em frances, pois penso eu se eu nao fosse feliz aqui se nao fosse melhor para mim e minha familia estarmos aqui com certeza voutaria para o Brasil ate mais.

  • This is a excellent article. I favor to purchase preowned golfing clubs myself. I study a fantastic report on callaway employed clubs

  • Ligia

    Olá! Gostei muito do seu site :). Tenho uma sugestao? Vc pode me mandar seu email?

    Ligia

  • Mano Michel, blz?
    Há um livro chamado “Brasil, coração do mundo, pátria do Evangelho”. O que posso dizer é que realmente nosso país é abençoado por Deus.
    Um grande abraço, boa Páscoa, saúde, Luz e muita Paz!

    • Grande Milton, fica a dica pra quem quiser conhecer o livro, mas com certeza nosso pais eh um lugar muito abençoado!!
      Grande abraço e feliz pascoa, Mich

  • GAbi

    Oi,

    Gostei do poter pois me identidico muito com muita coisa que foi dita. Moro fora do Brasil ha 5 anos, nos EUA, e sou do nordeste, imagine voce. O que mais sinto falta e da empatia que nos, mais precisamente nordestinos, sem ter o intuito de ser barrista, que temos uns pelos outros. Tenho saudades das portas abertas, das visitas inesperadas, do cafezinho fresco oferecido a todo tempo, do tempo que todos tem pra nos ouvir, do tempo que temos pra conversar, enfim. Morar fora do pais de origme nao facil, e eu creio que pra nos, brasileiros e bem pior, pois somos um povo caloroso, conversativo, amigavel, “gente boa”, tanto e assim, que os “gringos” sempre gostam do Brasil, voltam, mesmo com toda a inseguranca, e ate ficam pra morar. Sinto falta da falta de formalidade, da responsabilidade familiar que temos unjs pelos outros, das licoes que nossos pais nos deram,das regras que precisam ser cumpridas, quando aqui ha liberdade demasiada. Tenho saudade das coisas simples e do valor que damos a estas coisas.
    Esses dias com a chegada da primavera e a mudanca de clia, resolvi da um ponto final nessa vida de consumo desacerbado. Passei a aproveitar mais a natureza linda que temos por aqui,a qualidade dos parques publicos,a fartura das fazendas, a beleza das flores, enfim. Passar mais tempo com minha familia, aproveitar cada momento como se fosse o ultimo. Aqui a gente corre demais tambem, tudo e “fast”, ate saborear um prato no restaurante , pra mim, chega a ser um stress. Eu nao terminei a entrada e o prato principal ja esta na mesa, mal comi a entrada ja comecando o prato principal, o garcom ja esta me oferenco a sobremesa, tento saborear a sobremesa e a conta esta na mesa e o garcom de la pra ca como quem diz, cai fora. Affffff….
    Tudo e uma questao de escolhas. A gente tem que aproveitar o momento,e ser grato sim, pois temos a oportunidades que muitos em nosso pais gostariam de ter.
    Temos que correr atras enquanto jovens , mas viver enquanto isso, pois pra morrer basta esta vivo.
    Eu desejo a voce tudo de melhor e que voce aproveite ainda mais esse pais que te acolheu, que possa fazer a diferenca por ai, e que seja muito feliz, onde quer que voce escolha estar.
    Paz!

    • Oi Gabi, sao comentarios como esses deste post e o teu que dao sentido ao meu trabalho aqui! Achei bem legal a tua historia e esse “estresse” do primeiro mundo! Nao aproveitam, nao saboreiam, nao curtem os segundos da vida.. engolem os minutos da vida e quando veem ela ja passou!! Cabe a nos curtir da melhor maneira possivel!!
      Abs e paz, Michel

  • Muito interessante seu post, Michel. Na verdade, acho que não exite lugar perfeito no mundo, o perfeito é estarmos em harmonia com a gente mesmo. Aqui no Canada também é tudo caro, as pessoas me parecem mecânicas, nosso carro foi arrombado 2 vezes em 1 ano, mas somos felizes (!!!!). Assim como estaríamos se estivessemos no Brasil agora. Simplesmente porque acho que encontramos nosso ponto de equilibrio. :) E ao contrario da Suiça, aqui no Canada vejo cada vez mais familias maiores, com mais fllhos. Será esse um bom prenúncio? Acho que sim!

    Abraços pra você!

    • Lu, em muitos paises de primeiro mundo ter filhos acabou virando um trabalho, pois as familias contam com uma infinidade de apoios do governo! Mas com certeza pode ser tambem um sinal positivo pro futuro do pais! :)

      Mas o que voce falou eh fundamental, encontrando o ponto de equilibrio qualquer lugar do mundo acabe se tornando perfeito!

      Bjo e felicidades sempre! Boa pascoa!!
      Michel

  • viviane velez

    Michel! Que pena que estive um tempo sem acesso a internet e n tive como ver meus e-mails…perdi as inscriçoes para o concursso de fotografia, sniffffffff…mais fica pra próxima entao, se Deus quiser. Abraçao e já estou na área!

    • Oi Viviz!! Pena mesmo, vai fazer falta no concurso e tuas msgs tb fazem sempre falta aqui!! Ainda esta viajando muito?? Aoproveita!
      Bjo e boa pascoa! Michel

  • Bacana seu artigo! Parabéns!

    É incrível como pessoas vivem de sistemas e regras que fazem com que esquecem de realmente viver a vida!

    • Valeu Adriano! Vivemos escravos do sistema e do dinheiro! Sempre ser o melhor e ganhar mais pode nao ser o que realmente traz felicidade na vida.. pequenas coisas, sempre buscar a felicidade nas pequenas coisas! Abracao!!

  • sou suiço, mas moro em joão pessoa na paraíba faz 3 anos. concordo com algumas coisas que você falou sobre a suiça, mas não com tudo. relações familiares completamete mecânicas? não sei…
    pessoas infelizes, vazias? não concordo.

    para mim o brasil poderia ser o paraíso, mas estou com muita saudade da segurança pública da suiça que não existe aqui no brasil, infelizmente. com essa elite e políticos safados nunca vai melhorar. mesmo assim, adoro o brasil!

    legal seu blog!

    abraço

    • Valeu suiço :) claro que nao posso generalizar dizendo que todos aqui sao vazios e depressos.. mas com certeza este problema existe e faz parte da realidade aqui. Falta algo mais em que se apoiar, falta lutar pela sobrevivencia, ajudar quem realmente tem problemas e precisa de ajuda. Aqui parece ser tudo muito facil.. se o Brasil tivesse a segurança de uns anos atras seria realmente um otimo pais para morar e crescer os filhos! Mas com a droga e sem educaçao nao temos muita esperança num futuro melhor. Abraco

    • gabriela

      ola so para dizer moro na SUICA a mais de 6 anos e so tenho coisas boas a dizer deste pais que tanto amo abracos

  • O mundo para conhecer, mas o Brasil para morar…

  • Ah! Acho importante você relatar aqui como é realmente a vida fora do Brasil! Nem tudo são flores como as pessoas tendem a pensar. Quem já morou fora sabe que onde você estiver tem que se adaptar a realidade local e viver conforme dá! E nem sempre dá pra fazer tudo que queremos. Mas a experiência sempre é positiva, pois a gente aprende a dar valor a muita coisa simple :)

    Beijos

    • Carolz, muito legal teu comentario e eh bom saber que relatos assim podem ajudar as pessoas a entenderem melhor o “paraiso” do primeiro mundo.. nao tudo sao flores e realmente vale a pena se jogar no mundo pra aprender que temos muitas coisas negativas, mas tambem uma infinidade de coisas positivas!! Bjo e boa pascoa!!

  • Post perfeito!
    Eu aqui me sinto muito mais cansada do que no Brasil.
    No Brasil eu ia pra escola,depois para academia, depois pro curso de alemao e no final do dia ainda ia pro curso de desenho e sempre sobrava tempo de sair com os amigos durante a semana msm, nem precisava chegar o fds. Aqui eu me sinto hiper cansada, depois do trabalho nem vontade de ir pra academia eu tenho.

    Como vc disse, a vida aqui é corrida. E nem tudo é tao perfeito como parece, mas mesmo assim eu amo morar aqui.=)

    • Legal que curtiu o post, ainda mais voce conhecendo bem de pertinho essa realidade!! Eu tambem me sinto sempre cansado e sem vontade de fazer nada, ate porque ate mesmo a academia de ginastica aqui custa uma fortuna! Mas no fim das contas nao eh o pior lugar pra se morar do mundo… huehueuuhehu beijo e boa pascoa!