Minha cidade, meu destino: Split, Croácia (Debora Peçanha)



Quantas vezes você pensou em viajar dentro da própria cidade? Muitas vezes deixamos de aproveitar muitas coisas que estão debaixo dos nossos narizes, e foi por isto que convidei alguns amigos especiais para participarem da série “Minha cidade, meu destino”, onde cada um irá publicar 5 fotos e 5 dicas especiais. Nossa décima oitava convidada, Debora Peçanha, não é blogueira (demos um empurrãozinho para que crie um blog em breve), mas vive na Croácia há um ano e, sempre que pode, gosta de estudar e fotografar a cidade em que mora, Split. Muita gente gostaria de conhecer melhor a Croácia, então aproveite essa “viagem” e boa leitura:

A parte mais difícil de qualquer coisa na vida é o início. O início de uma vida nova, um lugar novo, pessoas novas ao redor… E há mais ou menos um ano decidi iniciar minha jornada aqui, em Split, a segunda maior cidade da Croácia e a mais importante da região da Dalmácia. Com quase 200.000 habitantes, Split respira História Antiga, sendo o principal símbolo da cidade o Palácio de Diocleciano, imperador romano que governou entre 284 e 305. Patrimônio Cultural da Unesco desde 1979, as áreas ao redor do palácio são ocupadas por comerciantes locais e suas lojas de artesanato, produtos típicos da Dalmácia, como o vinho, o azeite de oliva e enfeites de lavanda.

rodandopelomundo_split01p

Peristil e Riva
Do alto do Peristil ( ou Torre do Sino), por apenas 10 kunas (R$ 4,00), é possível ter uma vista incrível da cidade e das ilhas que a cercam. Ali próximo também se localiza a Riva, um calçadão imenso onde locais e turistas desfilam tomando sorvete, passeando com cachorros ou simplesmente sentam-se em um dos inúmeros cafés pra uma boa conversa ou apenas relaxar. Nesses dias mais frios, eu adoro pedir um café e ficar observando as pessoas e como elas se vestem, como conversam…

rodandopelomundo_split02p

Marjan
Pertinho da Riva, um outro ponto importante da cidade é o monte Marjan (ma-ri-an). Localizado no final da Riva, o monte oferece uma vista espetacular da cidade. Com pouco mais de 179 metros de altura, é destino certo para os aventureiros e amantes da natureza. Coberto por pinheiros e cercado pelo mar, possui praias, pistas de caminhada e corrida, quadras de tênis, além de espaços para piquenique durante os dias mais quentes.

rodandopelomundo_split03p

Parque Nacional de Biokovo
Um outro parque nacional que vale a pena a visita, apesar de não ser no centro de Split, é o Parque Nacional de Biokovo. Localizada em Makarska, a cerca de 40 minutos de carro de Split, é a segunda maior montanha da Croácia. Com seu pico mais alto, Sveti Jure (São Jorge) a 1762 metros de altitude. Com uma capela construída no topo em homenagem a Sveti Jure, o pico tem acesso para carros, o que torna o passeio completo. Do alto, é possível avistar a Makarska Riviera, as ilhas da Dalmácia, e, em dias super claros, o topo do monte Gargano, na Itália. É ótimo para ciclismo, escalada, trekking, passeios a cavalo e parapente. Vale a pena conferir.

Agora, uma visita a Split não estará completa se não incluir as ilhas de Hvar, Brač e Korčula. Será uma dica dividida em três, afinal, toda essa beleza merece:

rodandopelomundo_split04p

Hvar
Localizada entre Brač e Korčula, Hvar possui, além de praias lindíssimas e águas cristalinas, campos de lavanda, oliva e vinhedos. Stari Grad (cidade antiga), ao norte da ilha, é hoje o principal porto da ilha, recebendo todo ano milhares de turistas que chegam de carro, moto e campers através das ferries que saem do centro de Split. Pra quem gosta, como eu, uma boa dica é alugar uma moto em Split, e atravessar de ferry, pois a ilha é cheia de estradas que são ótimas se exploradas de moto. A vida noturna também é agitada na cidade de Hvar, com seus cafés e restaurantes ao longo da Riva. Lá é possível ver celebridades em seus iates o tempo todo durante o verão.

rodandopelomundo_split05p

Brač
A ilha de Brač (bra-tch), a maior das ilhas da Dalmácia, tem como símbolo o famoso Zlatni Rat (Cabo Dourado), ao sul da ilha. A visão que se tem do alto do monte Vidova é incrível!! Na minha opinião, uma das praias mais bonitas da Croácia. Durante todo o verão, é possível acessar as ilhas através de ferries com saídas de Split e Makarska. Um outro fato interessante sobre Brač é que as pedras da ilha, conhecidas pela qualidade e brancura, foram usadas na construção da Casa Branca! Chique, né? Ah, e não deixem de provar o vinho local, conhecido como Plavac. À noite, vários concertos de música local e festivais folclóricos animam a região.

rodandopelomundo_split06p

Korčula
Por fim, a ilha de Korčula (kor-tchu-la), a minha favorita, pode ser alcançada por ferry a partir de Split e Dubrovnik. A cidade de Korcula é famosa por ser a cidade natal do escritor Marco Polo, e sua casa em breve será transformada no Museu Marco Polo. Além disso, a cidade é rica em arquitetura, história e cultura, e sua dança típica, moreska, é uma dança de espadas famosa pelo Mediterrâneo  e hoje em dia somente praticada em Korcula.

rodandopelomundo_split07p

Pastičada
Uma ótima dica é alugar uma bicicleta e sair pedalando pelas pequenas trilhas que cercam a ilha. Outra coisa que não pode faltar é experimentar as delícias da região como a pastičada, prato típico da Dalmácia, feito de gnocchi, carne com molho de tomate e especiarias. Olha, pastičada boa faz minha sogra…. rs sério!!! Mas tem uma Konoba, tipo de restaurante jeito de cantina italiana (pois aqui é grande a influência) chamado Varos, pra turista mesmo, que é legal. Quem busca uma opção mais barata, porém um pouco distante do Centro (cerca de meia hora de carro), pode ir ao restaurante do Shopping Lesnina, em Dugopolje. É um shopping pra coisas de casa, como móveis e coisas de interior, mas você poderá degustar uma boa pastičadahá nesse café e restaurante. Para acompanhar, experimente os vinhos grk e pošip.

Enfim, há tantas coisas a se fazer em Split, seja no verão ou no frio!! Venha conhecer!! Vidimo se!!

Autora: Debora Peçanha (créditos: texto e fotos)

Confira todos os posts da série “Minha cidade, meu destino”.

Curta e siga:

Michel Zylberberg

Criei o blog em 2006 para compartilhar as minhas andanças pelo mundo, já rodei por mais de 20 países e gosto de incentivar as pessoas a conhecerem o que esse mundão maravilhoso tem a oferecer! Conto com a colaboração de amigos e convidados para poder trazer um conteúdo relevante e interessante, sempre junto com a minha grande paixão - a fotografia.