Rodando pela capital chilena: roteiro exclusivo de 72 horas em Santiago



Santiago é uma daquelas cidades “pequenas” onde se é possível visitar diversos lugares em pouco tempo de permanência no país. O próprio centro de Santiago possui várias opções de passeios para todos os bolsos e gostos.

Apesar de ser considerado um país subdesenvolvido, Santiago possui uma estrutura digna de primeiro mundo em alguns aspectos, como por exemplo as ruas sempre limpas, motoristas e pedestres respeitando as leis de trânsito, parques públicos bem cuidados (sem grades) e segurança.

andre_santiago_arquitetura02

 

Abaixo, cito algumas dicas essenciais para os viajantes que dispõem de pouco tempo para visitar esta interessante cidade:

Transporte a partir do aeroporto:

Existe uma opção muito eficiente e econômica: o taxi compartilhado (uma van que sai do aeroporto levando os passageiros para os seus respectivos hotéis). Uma ideia interessante, que poderia ter aqui no Brasil, evitando assim taxistas truqueiros.

Metrô:

O metrô de Santiago é bem distribuído (estações) e sinalizado. Evite os horários de pico, entre 8h – 9:30h e 17h – 19h.

Hospedagem:

Os bairros de Bela Vista e Providencia atraem muitos turistas devido à vida noturna intensa, mas o centro é uma excelente opção para quem deseja fazer passeios a pé, sem depender de nenhum transporte, entretanto nos finais de semana (domingo) fica vazio, quase deserto. Escolhi ficar no apart-hotel BMB Suítes, em uma rua de excelente localização.

andre_santiago_bmbsuites01

Culinária:

Santiago é uma cidade cara quando o assunto é comida. Poderia dizer que os preços são surreais. A melhor opção são os restaurantes que oferecem o “menu do dia” (entrada, prato principal + bebida) por um valor fixo ou mesmo comer em redes tais como: El Mamut (uma espécie de Outback), Fuente Alemana (sanduíches chilenos) e Domino (não confundir com a conhecida pizzaria, mas uma rede de lanchonetes com preços melhores).

Vinícola:

A mais famosa vinícola esta localizada a 1 hora de Santiago. Chama-se Concha y Toro, porém escolhi uma menos turística e mais tradicional: a vinícola Santa Rita, esta localizada nos arredores de Santiago, onde os funcionários trabalham normalmente enquanto transcorre o tour. Além disso, ela possui belas paisagens, um museu andino e também alguns trechos podem ser percorridos de charrete.

andre_santiago_vinicola12

Passeios:

– Cerro San Cristobal: o mais conhecido parque de área verde da cidade, é bastante visitado por moradores e turistas. Através de um funicular (ou trilha), é possível ter acesso a ele. Vale ressaltar que o teleférico não está funcionando ainda (na data da publicação do post). Um outro parque menos popular – mas belíssimo também – é o parque Quinta Normal. Bem cuidado, possui 5 museus (um deles sobre o trem a vapor), árvores centenárias, lagoa com pedalinhos, etc.

andre_santiago_cerrodesancristobal04

 

Fotos do parque Quinta Normal:

andre_santiago_pqquintanormal05

 

– Centro Cultural La Moneda: abriga mostras de artes e cinema, localizado no subsolo do Palácio La Moneda.

andre_santiago_lamoneda05

 

– Bairro Bela Vista: o bairro dos bares e boates badaladas onde os jovens bebem na calçada antes mesmo de anoitecer. Destaco principalmente o pátio Bellavista, um complexo de bares descolados e estilosos, mas de preços “salgados”.

– Bairro Paris – Londres: local charmoso com os seus edifícios baixos, ruas estreitas de paralelepípedos, alguns cafés e hostels e muitos visitantes.

andre_santiago_parislondres02

 

– Cerro Santa Lucia: de frente para uma das principais avenidas da cidade (Alameda), o parque de área verde é bem cuidado e bonito e sua entrada é gratuita.

Serviços:

Transvip (táxi compartilhado): aproximadamente 7.000 pesos por pessoa do aeroporto ao centro. Em torno de R$ 35,00 (de acordo com a cotação na ocasião). Os preços variam de acordo com a distância e bairro.

Metrô: há diferentes tarifas, dependendo do horário, em média $ 660 pesos.

Funicular do Cerro de San Cristobal: uma espécie de trenzinho, $ 2.000 pesos (aprox. R$ 10,00).

Museu do trem a vapor na Quinta Normal: $ 800 pesos, aproximadamente.

Hotéis (centro): diárias a partir de R$ 250,00

Vinícola: o passeio para a vinícola é feito por intermédio de uma agência especializada em tours. O passeio dura quase 2 horas, inclui transporte, visita guiada em português e degustação de vinhos. A melhor tarifa foi através da agência Snow Tours ($ 26.000 pesos, aproximadamente R$ 130,00 por pessoa).

 

andre araujo

Sobre André Araújo
Quando era criança, meus amigos sonhavam em conhecer a Disney e eu já dizia África. O desejo tornou-se realidade mais de uma década depois e do jeito que eu imaginei. A partir de então viajei para alguns lugares comuns e incomuns, no exterior e no interior do Brasil, descobrindo lugares, culturas e pessoas. Viajar para mim não é apenas um lazer, mas uma forma de ampliar os meus horizontes. Carioca, morador de Niterói e com uma lista imensa de lugares para visitar um dia.

Curta e siga:
Avatar

Michel Zylberberg

Criei o blog em 2006 para compartilhar as minhas andanças pelo mundo, já rodei por mais de 20 países e gosto de incentivar as pessoas a conhecerem o que esse mundão maravilhoso tem a oferecer! Conto com a colaboração de amigos e convidados para poder trazer um conteúdo relevante e interessante, sempre junto com a minha grande paixão - a fotografia.