Já adulto, decidi estudar inglês fora do Brasil. E me dei bem por isso



Ainda me pego pensando nos dias que antecederam minha viagem de quase um ano que planejei fazer pela Austrália. Lembro que minha primeira preocupação era se eu não estaria fazendo aquilo tarde demais, se meus 30 anos de idade já não pareciam ter ultrapassado o interesse neste aprendizado e também na possibilidade de deixar a chamada “zona de conforto”.

Sempre me interessei pelo idioma inglês. Traduzia músicas, assistia a filmes sem legenda e tentava fazer contato em inglês com alguns amigos que falavam o idioma. Porém, eu queria estudar mais, adquirir fluência. E não queria passar horas dentro de uma escola e, ao sair de lá, falar português novamente. Queria ter a oportunidade de estudar inglês e sair praticando, “na raça”.

Quando pensei na realização deste sonho, o de estudar fora do meu país, meu horizonte se abriu e a vontade de explorar o novo se multiplicou. Não teve como segurar o meu ímpeto: procurei por uma agência especializada e parti para a Austrália.

DSC01327

Sydney Harbour Bridge, último dia de 2011

DSC01334

Sydney Opera House

DSC01626

Coogee Beach, em Sydney

Ficar ou voltar ao Brasil?

Até hoje me perguntam: “Você não teve vontade de ficar lá?”. Minha resposta, sempre: “Claro que tive!”. Enquanto estava na Austrália, aquele tempo passava muito rápido, a cabeça se abriu e os sonhos se multiplicavam, entre eles o de voltar ao Brasil para dar início a uns e concluir outros projetos de vida, estes esquecidos pela situação de “conforto” e vida “estável” que levava antes.

Agora, sei quanta diferença um intercâmbio fez na minha vida. O período me credenciou a conseguir novas oportunidades de trabalho, colocar em prática o idioma em outros países que visitei e, o melhor, me deu a chance de poder contar para os amigos e para a família algumas histórias inspiradoras. Até me sinto orgulhoso quando ouço de amigos que estão fora do país, felizes, que um dos culpados por eles estarem viajando pelo mundo sou eu…rsrs

018

No Coombabah Lakelands, na Gold Coast, o visitante faz um passeio a pé, por dentro de um grande parque onde centenas de cangurus ficam soltos. É difícil se aproximar deles e você fica com um pouco de receio porque não é aconselhável, pois eles estão no seu próprio habitat. Na sorte, consegui flagrar mamãe e bebê

De volta ao Brasil, tudo mudou: a forma de enxergar o mundo, a de me relacionar com os meus pais, meus amigos e como eu aproveitaria toda esta experiência adquirida, principalmente o idioma, em como seria de lá para frente viajar para outro país de língua estrangeira ou encontrar com um(a) americano(a) no trabalho e poder conversar sem vergonha com ele(a) na frente dos colegas.

Desde àquele ano, minha vida mudou, para melhor, claro, e vejo que as oportunidades de estudos no exterior estão abertas para todos, basta se planejar, se dedicar, despertar sua coragem e escolher o melhor caminho para alcançar esta meta. Sim, sua meta, seu objetivo!

A EF – Education First é líder mundial em educação internacional, está presente em 112 países e sabe o perfil de cada um que deseja aprender um novo idioma, seja adolescente, jovem, universitário, adulto acima de 25 anos e também aquele que trabalha no mundo corporativo.

Burleigh Heads com vista para Surfers Paradise e praias vizinhas

Burleigh Heads com vista para Surfers Paradise e praias vizinhas

Ou seja, você que está aí lendo este texto pode começar a planejar já a sua viagem, não importa a sua idade. Os cursos de idiomas da EF podem ser feitos em países como Espanha, Canadá, Estados Unidos, França, Malta, África do Sul, Alemanha, Japão, Itália, entre outros. Além de conhecer o idioma, ter a chance de conhecer a cultura destes países rende um aprendizado imensurável.

Ter o respaldo de uma equipe especializada em todos os trâmites burocráticos é garantia de tranquilidade no seu intercâmbio cultural. Você fica tranquilo quanto a esclarecimentos sobre passagens aéreas, seguro viagem, visto, hospedagem e, claro todas as informações essenciais para tornar sua viagem a mais proveitosa possível. É isso que a EF – Education First quer para você, que sua experiência fora do Brasil se torne inesquecível.

Fotos: Arquivo pessoal A.R. Borges

Este texto é um publieditorial, patrocinado por uma empresa e devidamente identificada em sua tag como “ad” (advertisement – propaganda).

Curta e siga:
Arnaldo Rafael Borges

Arnaldo Rafael Borges

Com formação em Jornalismo, já viajei bastante por este mundão. Além de morar por um ano na Austrália, conheci países como México, Argentina, Uruguai, Chile e Nova Zelândia e também gosto de compartilhar o que há de mais interessante e inspirador para o viajante.